terça-feira, 20 de dezembro de 2011

O Segredo das Pedras Guia da Georgia



As Pedras guia da Geórgia (Georgia Guidestones) formam um monumento em granito localizado no Condado de Elbert, Geórgia, Estados Unidos e nele estão gravados dez frases em oito línguas modernas: inglês, espanhol, suaíli, hindi, hebreu, árabe, chinês e russo, e uma pequena mensagem, no topo, escrita em quatro antigas línguas: babilónio, sânscrito, grego e em hieróglifos egípcios.

Em Junho de 1979 um desconhecido sob o pseudónimo de R.C. Christian contratou a empresa Elberton Granite Finishing para que construíssem a estrutura. O monumento mede 19 pés e 3 polegadas e utiliza 951 pés cúbicos de granito. Todas as pedras juntas pesam mais de 119 toneladas.

Entre os idiomas escolhidos para as mensagens foram ignoradas línguas faladas por milhões de pessoas como alemão, francês, grego, japonês, italiano e português. A escolha dos idiomas mostra a preocupação em balancear regiões e religiões para o entendimento das mensagens. Por isso, estão incluídos o hebraico, com apenas 11 milhões de falantes, e o suaíli, principal idioma banto com 50 milhões de falantes na África oriental, mas que não chega nem perto do total de falantes do português – sexta língua mais falada no mundo (240 milhões de falantes), excluída das inscrições possivelmente pela proximidade lingüística ao idioma espanhol, uma das oito escolhidas.


História nas Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)

A lenda sobre a construção do local começou em Junho de 1979, quando um misterioso homem com o pseudónimo de R.C. Christian (Cristão) procurou os escritórios da Elberton Granite Finishing para a construção de um grande monumento. Especula-se que as iniciais R e C significam a ordem Rosa-Cruz, fraternidade que teria as suas origens no personagem mítico do século XIV Christian Rosenkreuz, chamado também de Irmão C.R.C.

O Sr. Christian disse que representava um pequeno grupo de americanos leais que viviam fora daGeórgia e que desejavam permanecer no anonimato para sempre. Ele contou aos construtores que os patrocinadores tinham planeado o monumento durante anos e que os dez pontos das Pedras Guiam eram um apelo a todos os povos para preservar a humanidade e o planeta.

O local escolhido deveria ser remoto e longe dos turistas das cidades locais. Além da fartura de excelente granito (um dos materiais mais usados para lápides), clima e localização, o Sr. Christian disse que a escolha era também pessoal. A sua bisavó tinha nascido na Geórgia.

As Pedras Guia da Geórgia foram inauguradas em Março de 1980, com a presença de 100 pessoas. A propriedade do terreno onde se encontram os monumentos é obscura. No registo de imóveis do condado de Elbert indica que o próprio condado teria comprado o terreno de cerca de 2 hectares onde está localizado o monumento no dia 1 de Outubro de 1979 por 5 mil dólares.

Nos últimos anos rituais de diversos tipos de grupos foram feitos no local, incluindo casamentos e reuniões de nativos, cristãos, pagãos, entre outros. As pessoas chegam ao monumento para meditar, visitar, fazer turismo, tentar decifrá-lo e até depreciá-lo. Em 2008, as pedras foram pintadas com a frase “Morte à Nova Ordem Mundial”, “A elite quer matar 80% da humanidade”, “Não ao Governo Mundial” e “Jesus prevalecerá”.


Características astronómicas das Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)

As quatro pedras exteriores são orientadas pela migração anual do Sol. Na coluna do centro há um furo onde Polaris pode ser sempre vista, se as condições do tempo permitirem. Polaris é a estrela mais brilhante da constelação Ursa Menor e popularmente conhecida como Estrela Polar – chamada assim por estar muito próxima ao Pólo Celeste. A estrela foi escolhida para simbolizar constância e a orientação com as forças da natureza. Há também nas pedras da Geórgia um entalhe que faz uma janela que alinha com os solstícios e equinócios (eventos que marcam os inícios das estações). Esta janela faz que o sol brilhe para indicar o meio-dia numa linha curva.




Tábua de instruções das Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)

Além das inscrições existe uma tábua de instruções cravada no chão próxima do monumento. A tábua identifica a estrutura, características astronómicas, patrocinadores (identificados na tábua apenas como “Um pequeno grupo de americanos que procuram a idade de razão”) e as línguas usadas nas Pedras Guia da Geórgia. O mais intrigante são os dados de uma cápsula de tempo enterrada sob a tábua com espaço para preenchimento de quando a data foi/será enterrada e quando deve ser reaberta. A cápsula foi ou será enterrada conforme a instrução da tábua “a seis pés abaixo deste ponto”. A cápsula do tempo é um recipiente completamente fechado para guardar mensagens e objetos para ser encontrados por gerações futuras.


Qual objetivo das Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)?

Os críticos do monumento afirmam que as Pedras são “Os Dez mandamentos do Anticristo”. Segundo eles, as pedras foram construídas por sociedades secretas satânicas com o objetivo de implementar a Nova Ordem Mundial. O ativista político John Conner defendeu a destruição das Pedras da Geórgia, e que o entulho deveria ser usado para outras obras. Já entre os que defendem as Pedras Guia da Geórgia está a viúva do ex-Beatle John Lennon. Yoko Ono disse que as mensagens inscritas são “Um importante chamada ao pensamento racional”.


Argumentos contra as Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)

O primeiro “mandamento” é o que mais chama a atenção dos críticos. Vários defensores de um Governo Mundial defendem a redução da população e o controle da natalidade. Os mesmos grupos são acusados de fomentar a histeria do Aquecimento Global para incluir mais e mais taxas para concluir o seu objetivo de acabar com a soberania dos países. Este “mandamento” além de “pedir” uma redução dos atuais 6,7 bilhões de seres humanos para apenas 500 milhões, pede que isto seja feito em harmonia com a natureza. Algumas perguntas ficam no ar? Quem serão os escolhidos para ficar no grupo dos 500.000? Como a população será reduzida para ficar em “harmonia” com a natureza? As mesmas pessoas e grupos que pedem um governo mundial não são as mesmas pessoas que pedem investimentos e novos impostos para combater o Aquecimento Global?

Os outros “mandamentos” não são menos aterrorizantes. O segundo pede o controle da reprodução, com a intromissão do governo mundial na esfera mais íntima e pessoal – a concepção. Controlar a reprodução de maneira sábia significa o uso da inteligência de políticas de restrição ao número de filhos, incentivo ao aborto, esterilização em massa, além do claro pedido de reintrodução da eugenia (aperfeiçoando as condições físicas); o terceiro urge a criação de um novo idioma, que poderá ser seguido por apenas uma religião, uma moda, um povo. Não é de se espantar que o novo prédio que está sendo construído no lugar das Torres Gêmeas do World Trade Center fossem renomeados de Freedom Tower (Torre da Liberdade) para 1 World Trade Center.

O quarto mandamento pede o domínio da razão sob todas as formas abstratas. O controle da fé, tradição, paixão foi testado em regimes autoritários, onde o Governo controlará tudo e a todos, inclusive garantirá que os seus sentimentos sejam supervisionados em nome do bem comum.

O quinto e o sexto mandamento pedem a proteção de povos e nação em cortes mundiais, com direito a autonomias insignificantes. Para os críticos das pedras os exemplos destas “protecções” e “liberdades” já ocorrem nos países que foram invadidos para a própria protecção e novos povos que precisam, sem querer, de uma corte mundial para o seu próprio bem.

Aparentemente a burocracia é o que deve ser combatida no sétimo mandamento. Entretanto, esta pode significar a solicitação de um Governo Mundial para combater os gastos desnecessários de leis, governos e, consequentemente, emissão de monóxido de carbono! O oitavo mandato é bastante claro. Todos os governos autoritários se definiram como agentes do bem-estar social. O balanceamento entre os direitos pessoais e deveres sociais indicam que há uma desproporção e, logicamente, a balança penderá para o seu dever com a sociedade. Não espere que eles admitam que você paga impostos em excesso e que seus direitos pessoais serão aumentados. O aumento dos deveres sociais significarão trabalhos forçados, campos de concentração e aumentos de taxas para tornar a sociedade mais “justa”.

A harmonia com o infinito que fala o nono parágrafo está relacionada com o seu dever com a natureza. Mesmo que os maiores expoentes da luta pela natureza gastem em média 20 vezes mais de energia elétrica nas suas mansões é o cidadão comum que terá de economizar luz, água e será sobretaxado para ajudar a combater as mudanças climáticas. Deve-se valorizar a verdade, mas qual verdade? Deve-se valorizar a beleza? Mas qual beleza é que eles se referem? A beleza dos padrões da eugenia que levou a morte milhões de pessoas indefesas?

O último mandamento faz um elo com o primeiro. A ideia é que nós seres-humanos somos o cancro do planeta e que devemos ser reduzidos em quantidade para que a “natureza” tome conta. O ser-humano visto como um mal a ser aniquilado é transmitida diariamente para conquistar corações e mentes. O propósito é que aceitemos que devemos ser eliminados para que uma pequena elite controle todo o planeta numa ditadura global que trará escravidão para quem sobreviver em nome da harmonia com o planeta.

Não é o fato de negar a necessidade de preservar o planeta, mas combater os falsos ambientalistas. Estes são pessoas e grupos que utilizam algo que ninguém deseja e pode perder, o nosso planeta, para chantagear a sociedade com taxas para realizar uma ditadura global, na qual os verdadeiros defensores do meio-ambiente se arrependerão por ter ajudado aqueles que, na verdade, utilizam a bandeira para fins egoístas.

Para chegar ao ponto de equilíbrio com o planeta planeado por esses grupos é necessário que a população reduza dos atuais 6,8 bilhões para apenas 500 milhões. Isto significa que eu, você, os seus amigos, parentes e conhecidos teremos poucas chances de entrar no selecto grupo da harmonia, que se fosse realmente bom não seria gravado com pedras de fazer túmulos e, muito menos, pediria a morte de mais de 6.000.000.000 seres-humanos.

Todos os pontos guias não foram feitos para você. São instruções de como o governo mundial vai controlar todos os detalhes da sua vida, restringindo ao máximo a sua privacidade através de autoridades inacessíveis e sem lugar para fugir. Lembre-se: de boas intenções o inferno está cheio!

Você deve estar a interrogar-se por que é que nunca tinha ouvido falar de um monumento construído na maior economia do mundo. Uma obra que defende a redução drástica da população, uma nova religião, um governo mundial baseado na histeria ambientalista e no abusivo jogo de palavras que sugere harmonia, mas oferece escravidão. Em toda a história da humanidade os tiranos chegaram ao poder prometendo um futuro melhor que jamais chegou; em troca pedem mais sacrifício e menos liberdade em nome da harmonia e das futuras gerações.
Se você nunca ouviu falar nas Pedras Guia da Geórgia é porque os principais meios de comunicação social têm distrações elaboradas com o objectivo de desviar a sua atenção, como "reality shows" ou as declarações sensacionais do último campeonato.



Adaptado daqui.

1 comentários:

Stefano disse...

http://www.youtube.com/watch?v=mbQhNv7RenM