sexta-feira, 13 de março de 2009

Repressão na Alemanha - Germar Rudolf

Germar Rudolf, actualmente preso na Alemanha, fala aqui da sua experiência como revisionista e a perseguição aos cépticos do Holocausto naquele país numa série de vídeos num seminário em 2000, em Irvine.













62 comentários:

Leo Gott disse...

Temos alguns artigos sobre Germar Rudolf que poderão ser analisados pelos senhores acessando o link abaixo:

http://holocausto-doc.blogspot.com/search/label/Germar%20Rudolf

vespa disse...

Quando é que o sr Germar Rudolf editou o livro “Dissecting the Holocaust”, ou o panfleto em que questiona a existência de judeus mortos nos arredores de Marijampole? É que achei curiosa a afirmação do Prefeito Vidmantas Brazys que diz o seguinte (tirado do blog do sr Leo Gott)
“Os fatos no artigo de Germar Rudolf são primários...” e prosegue; “... e não resultados finais de escavações arqueológicas.”
O que me parece e que dá a entender que o sr Rudolf, não mentiu, não estava era naquela data, em que afirmou o que afirmou, na posse do que posteriormente se verificou/descobriu.
Será assim?

Johnny Drake disse...

Vespa, o Sr. Leo Gott pertence ao grupo dos "investigadores sérios". Acredite antes no que ele diz porque tudo o que vem no blogue dele é "sério" (leia-se "credível e verdadeiro"). O que ele invoca - pessoas, números, situações, locais - tudo é inquestionável.
Se ele disses que os crocodilos voam, acredite. Voam mesmo! Mas rasteirinho...
Aqui somos todos "nazis para cima"... Desculpe, mas perdi a paciência com argumentos e lógicas de quem não responde âs perguntas incómodas, mas depois põem-se aos pulinhos a exigir comentários âs suas afirmações... "sérias".

Leo Gott disse...

Vespa, ele se refere a esta parte (grifos meus):

No verão de 1996 a cidade de Marijampol, na Lituânia, decidiu eregir um memorial do Holocausto para dezenas de milhares de judeus do alegado assassínio, enterrados lá pelos alemães dos Einsatzgruppen. A fim de construir o memorial na exata localização, tentaram achar onde as valas em massa estavam. Escavaram o local descrito por testemunhas, mas não acharam nenhum rastro. Além de cavarem ao longo de um ano inteiro, tudo ao redor do alegado local do assassínio não revelou nada além de solo nunca antes mexido. Os alemães então fizeram um trabalho perfeito ao destruir todas as pistas e até mesmo restaurando a seqüência original das camadas do solo? Eles fizeram milagre? Ou estão as testemunhas erradas?

LeoGott

Leo Gott disse...

Drake,

cuidado com o infarto, desse jeito você vai ver o Ragnarök mais cedo. rsrs

vespa disse...

Sr Leo Gott
Penso que é importante saber as datas. Tentei saber a data em que o sr Rudolf escreveu o livro em que o sr diz que ele fez essa afirmação (não li o livro), mas não encontrei. Na minha procura no google fiquei com a impressão de ter sido em 1996.
É importante também saber a data exacta em que foram encontrados os corpos. Parece que 1996 (segundo o sr Mr. Algimantas Merkevicius que procedeu às escavações). Em Janeiro ou Dezembro?
Só depois de estarmos na posse destas duas datas é que poderemos afirmar que o sr Rudolf mentiu ou não. Ou melhor, se mentiu voluntáriamente ou involuntáriamente.

“Facts in the article of Germar Rudolf are primary and not final results of archaeological excavations.”
“primary” não significará que quando o sr Rudolf escreveu e/ou se inteirou dos factos, as escavações estavam no seu inicio e ainda não se tinha descoberto nada? Porque a seguir é reforçada/complementada com, “...and not the final results...”

http://dictionary.reference.com/dic?q=+primary+&search=search
2. first in order in any series, sequence, etc.
5. constituting or belonging to the first stage in any process. (penso que é esta)
(constituindo ou pertencendo à primeira etapa em qualquer processo)

Johnny Drake disse...

Vespa, não perca o seu tempo. Estava para até fazer um post sobre isto, mas acho que nem vale a pena:
http://holocaustcontroversies.blogspot.com/2006/05/dr-rudolf.html

Pretende-se "desmascarar" as habilitações académicas dos revisionistas. Mas depois veja o último comentário. JÁ NÃO TEVE RESPOSTA! E porquê? Porque pretendia-se desacreditar o engenheiro civil Hans Kammler, afirmando que ele não o era... Só que Joachim Neander estava atento e fez a respectiva emenda: ele foi graduado pela Faculdade de Building (Bauwesen) da Technische Hochschule Hannover, um dos melhores institutos da Alemanha, em 1932,com a tese "Zur Bewertung von Geländeerschließungen für die großstädtische Siedlung".

Percebe a ideia? Quando o chamar "nazi e anti-semita" não resolve, parte-se para o descrédito das capacidades académicas. Mas nunca se discute verdadeiramente o problema real: apurar realmente o facto histórico denominado "Holocausto".

Leo Gott disse...

Drake,

depois de um dia inteiro de praia entrei aqui para me divertir mais um pouco, mas a patroa acha que vocês não estão merecendo...rsresrs...vai brigar com ela? Depois eu comento o post do(a) Vespa.

Vou curtir isso aqui:http://www2.uol.com.br/portodegalinhas/

Hails....rsrsrsrsrs

Fique com Mjolnir....rsrsrrsrs

Leo Gott disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leo Gott disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leo Gott disse...

Vespa,

Original German edition:
Gauss, Ernst (i.e., Germar Rudolf) (Hg.):
Grundlagen zur Zeitgeschichte.
Ein Handbuch über strittige Fragen des 20. Jahrhunderts.
Tübingen: Grabert, 1994
Veröffentlichungen des Institutes für deutsche Nachkriegsgeschichte; Bd. 22
ISBN 3-87847-141-6
ISSN 0564-4186

Original German edition: © November 1994 by Grabert-Verlag, Postfach 1629, D-72006 Tübingen

Retirado do site de Germar Rudolf

http://germarrudolf.com/work/dth/found.html

Leo Gott

vespa disse...

Sr Leo Gott
Penso que não me expliquei sufucientemente bem.

1- O sr Rudolf, afirmou;
“No verão de 1996 a cidade de Marijampol, na Lituânia, decidiu eregir um memorial do Holocausto para dezenas de milhares de judeus do alegado assassínio, enterrados lá pelos alemães dos Einsatzgruppen. A fim de construir o memorial na exata localização, tentaram achar onde as valas em massa estavam. Escavaram o local descrito por testemunhas, mas não acharam nenhum rastro. Além de cavarem ao longo de um ano inteiro, tudo ao redor do alegado local do assassínio não revelou nada além de solo nunca antes mexido. Os alemães então fizeram um trabalho perfeito ao destruir todas as pistas e até mesmo restaurando a seqüência original das camadas do solo? Eles fizeram milagre? Ou estão as testemunhas erradas?”

2- O sr afirmou (traduziu a afirmação doutro);
“Como de costume, UM POUCO MAIS DE PESQUISA ajudaria os negadores a não parecerem idiotas.”, porque acabou por ser descoberto que, afinal haviam valas com cadáveres. Dando a entender que o sr Rudolf foi pouco cuidadoso, foi desleixado no trabalho que fez e por isso chegou a conclusões erradas e,

3- O sr deu como prova (traduziu doutro), a carta do Prefeito Vidmantas Brazys;
“Caro Roberto Muehlenkamp,
Gostaria de informar a você, que na página da internet do município de Marijampole, na apresentação online de “Lugares para visitar” sob o item 10, contém a seguinte passagem: “No vale de rio Sesupe 5090 judeus e pessoas de outras nacionalidades foram assassindas em 1941 por forças nazistas.” Este fato é confirmado por documentos.
Em 1970 o cemitério foi incluído na lista de Monumentos Culturais. A área, onde se pensou que estavam as valas, oliveiras foram plantadas e abriga o monumento.
Em virtude da exata localização das valas não ser conhecida, em 1996 foram feitas escavações arqueológicas e o local do fuzilamento foi encontrado (acerca de 50m a oeste das valas apontadas).
Doutor de Ciência da Arqueologia da Universidade de Vilnius, o Sr. Algimantas Merkevicius fez escavações arqueológicas. Todos os documentos da escavação são mantidos pelo Especialista-chefe de Arquitetura e Divisão de urbanística do município de Marijampole, o Sr. Gedeminas Kuncaitis.
Os fatos no artigo de Germar Rudolf são primários e não resultados finais de escavações arqueológicas.
Sinceramente,
Prefeito Vidmantas Brazys”,

do qual realcei o seguinte; “Os fatos no artigo de Germar Rudolf são primários e não resultados finais de escavações arqueológicas.”, que, a meu ver, ilibe o sr Rudolf de poder ser acusado de tentativa de manipulação ou investigação pouco cuidada. Este parágrafo, prova exactamente o contrário daquilo que é pretendido que ela prove.

“Os fatos no artigo de Germar Rudolf são PRIMÁRIOS...” Dito de outra forma. Quando o sr Rudolf afirmou que não haviam valas, as pesquisas não tinham dado em nada. Não haviam sido descobertas valas com corpos.

“... E NÃO OS RESULTADOS FINAIS de escavações arqueológicas.” Dito de outra forma. Só depois do sr Rudolf ter dito o que disse, é que foram descobertas as valas com os corpos.

Portanto à data das afirmações, elas estavam correctas. O sr Rudolf está ilibado desta acusação.

Não vou analisar o resto da carta, porque demonstra, que através de certas perguntas que se fazem, pode-se obter uma determinada resposta, que depois, pode ser utilizada para dar outra impressão/ideia (ex o 1º parágrafo).

Leo Gott disse...

Vespa,

alguns comentários. Os textos não são meus e muito menos a carta que foi enviada ao prefeito, os textos são bem claros quanto a isso, é só ler.

Sobre Germar Rudolf, ele não está ilibado de nada, ele MENTIU DESCARADAMENTE e foi provado isso, ou você acha que em 1994 Germar Rudolf escreveu sobre as escavações em Marijampol que só iriam acontecer em 1996?

Até agora estou tentando entender o porque da carta, ou então tenho que me convencer que Rudolf é profeta.

Leo Gott

Leo Gott disse...

Correção:

Onde se lê: "Até agora estou tentando entender o porque da carta..."

Leia-se: "Até agora estou tentando entender o porque das datas..."

vespa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vespa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vespa disse...

Sr Leo Gott

“alguns comentários. Os textos não são meus...”
Eu sei. Por isso eu escrevi;
“2- O sr afirmou (traduziu a afirmação doutro);” “traduziu a afirmação doutro”
“3- O sr deu como prova (traduziu doutro), a carta do Prefeito Vidmantas Brazys;” “traduziu doutro”

“... e muito menos a carta que foi enviada ao prefeito, os textos são bem claros quanto a isso, é só ler.”
Eu sei. Por isso eu escrevi; “3- O sr deu como prova (traduziu doutro), a carta do Prefeito Vidmantas Brazys;”
“... a carta DO Prefeito...” e não a carta PARA o Prefeito., ou a carta AO Prefeito.

“... ou você acha que em 1994 Germar Rudolf escreveu sobre as escavações em Marijampol que só iriam acontecer em 1996?
Até agora estou tentando entender o porque das datas,...”
Ok, vamos ver o porque as datas.

Hipótese 1.
Começaram a pesquisar/escavar em Janeiro de 1966 e nesse mesmo mês (Janeiro de 1996), descobriram valas com corpos.
O sr Rudolf declara em Dezembro de 1996 que não foram encontradas valas com corpos.
Resumo.
Em Janeiro de 1996 descobriram valas com corpos.
Em Dezembro de 1996, o sr Rudlof declara que não há valas com corpos
Está a mentir? Está.

Hipotese 2.
Começaram a pesquisar/escavar em Janeiro de 1966, e a 30 de Novembro de 1996, ainda não tinham descoberto valas com corpos. (Só descobriram valas com corpos em 1997.)
O sr Rudolf declara, no dia 15 de Agosto de 1996, que não foram encontradas valas com corpos.
Resumo.
A 30 de Novembro de 1996, ainda não tinham descoberto valas com corpos.
A 15 de Agosto de 1996, o sr Rudolf declara que não há valas com corpos.
Está a mentir? Não. Está a dizer a verdade.
Só passa a ser uma afirmação incorrecta, depois de terem descoberto as valas com os corpos.

Leo Gott disse...

Vespa,

vamos raciocinar...

A 1a. edição do Dissecting the Holocaust é de 1994, ANTES das escavações em Marijampol, OK? As escavações começaram no verão de 1996, segundo até o próprio Rudolf.

Então não é possível que este texto sobre Marijampol foi publicado na 1a. edição de Dissecting the Holocaust em 1994, OK?

A segunda edição, que tenho aqui comigo é de 2003.

Sete anos depois, então meu caro, pode colocar mais uma mentira na conta de Germar Rudolf.

Alvíssaras,

Leo Gott

vespa disse...

Sr Leo Gott

1ª Pergunta. Antes das escavações de 1996, não fizeram outras escavações?
2ª Pergunta. As escavações que começaram em 1996, foram as que descobriram as valas com os corpos? (Mês e dia)
3ª Pergunta. O sr Rudolf afirma que não foram encontradas valas. No livro de 2003, ou num panfleto?
4ª Pergunta. Se é no livro editado em 2003, sob que título/capitulo?(*)
5ª Pergunta. Se é num panfleto, é de que data (dia, mês e ano)?

(*)“Então não é possível que este texto sobre Marijampol foi publicado na 1a. edição de Dissecting the Holocaust em 1994, OK?” (OK!)
“A segunda edição, que tenho aqui comigo é de 2003.” (Então está na 2ª edição de 2003. Ok!)

(*)Tirado do seu blog - http://holocausto-doc.blogspot.com/2008/12/parte-ii-negadores-e-as-valas-de.html -
“Germar Rudolf na introdução de Dissecting the Holocaust(Dissecando o Holocausto):
(**)No verão de 1996 a cidade de Marijampol, na Lituânia, decidiu eregir um memorial do Holocausto para dezenas de milhares... ...restaurando a seqüência original das camadas do solo? Eles fizeram milagre? Ou estão as testemunhas erradas?” Também posto por si neste blog no dia14 de Março de 2009 às 5:28, como tendo sido citado pelo sr Rudolf.
Cliquei na frase “Dissecting the Holocaust(Dissecando o Holocausto):”, e a sua ligação levou-me a esta página; http://www.vho.org/GB/Books/dth/fndintro.html, para ler “na introdução”, a citação(**) atribuída ao sr Rudolf.
Não encontrei “na introdução”, a tal citação(**), atribuída ao sr Germar Rudolf. Li também as notas de 1 a 10 e nada.
Procurei noutro lado – http://www.vho.org/GB/Books/dth/2.pdf, Mas, novamente a tal citação(**), “na introdução”, não a encontrei.
O sr, ou outra pessoa, é capaz de me dizer exactamente onde está a tal citação(**) do sr Rudolf? Por favor.

Leo Gott disse...

Vespa,


1ª Pergunta. Antes das escavações de 1996, não fizeram outras escavações?

Não sei te informar. Podemos fazer uma pesquisa e tentar achar alguma informação, o problema maior que eu acho é a língua, lituano.

2ª Pergunta. As escavações que começaram em 1996, foram as que descobriram as valas com os corpos? (Mês e dia)

Segundo a carta do prefeito Vidmantas Brazys sim, segue o trecho:

Em virtude da exata localização das valas não ser conhecida, em 1996 foram feitas escavações arqueológicas e o local do fuzilamento foi encontrado (acerca de 50m a oeste das valas apontadas).

Repare bem, a 50 metros do local.

3ª Pergunta. O sr Rudolf afirma que não foram encontradas valas. No livro de 2003, ou num panfleto?

No livro de 2003 e também no link que você postou, segue excerto:

In the summer of 1996 the town of Marijampol, in Lithuania, decided to erect a Holocaust Memorial to the tens of thousands of Jews allegedly slaughtered and buried there by German Einsatzgruppen. In order to build the Memorial at the correct location, they tried to find where the mass graves are. They excavated the site described by the witnesses, but did not find a trace.[145] Further digging throughout an entire year, all around the alleged killing site, has revealed nothing but undisturbed soil.[146] So, did the Germans do a perfect job by destroying all traces and even restoring the original sequence of soil layers? Did they perform miracles? Or are the witnesses wrong?



4ª Pergunta. Se é no livro editado em 2003, sob que título/capitulo?(*)

Capítulo 10: What Material Evidence Can Reveal

5ª Pergunta. Se é num panfleto, é de que data (dia, mês e ano)?

Não é em um panfleto é no livro de 2003.

(*)Tirado do seu blog - http://holocausto-doc.blogspot.com/2008/12/parte-ii-negadores-e-as-valas-de.html -
“Germar Rudolf na introdução de Dissecting the Holocaust(Dissecando o Holocausto):
(**)No verão de 1996 a cidade de Marijampol, na Lituânia, decidiu eregir um memorial do Holocausto para dezenas de milhares... ...restaurando a seqüência original das camadas do solo? Eles fizeram milagre? Ou estão as testemunhas erradas?” Também posto por si neste blog no dia14 de Março de 2009 às 5:28, como tendo sido citado pelo sr Rudolf.
Cliquei na frase “Dissecting the Holocaust(Dissecando o Holocausto):”, e a sua ligação levou-me a esta página; http://www.vho.org/GB/Books/dth/fndintro.html, para ler “na introdução”, a citação(**) atribuída ao sr Rudolf.
Não encontrei “na introdução”, a tal citação(**), atribuída ao sr Germar Rudolf. Li também as notas de 1 a 10 e nada.
Procurei noutro lado – http://www.vho.org/GB/Books/dth/2.pdf, Mas, novamente a tal citação(**), “na introdução”, não a encontrei.
O sr, ou outra pessoa, é capaz de me dizer exactamente onde está a tal citação(**) do sr Rudolf? Por favor.


Está exatamente na introdução on-line que você disponibilizou e também no livro de 2003 (The Controversy about the Extermination of the Jews · An Introduction..........................................13
GERMAR RUDOLF
, exatamente como copiei para responder sua 3a.pergunta.

Dica: Utilize a ferramenta de busca do seu browser para localizar, é bem mais fácil.

Mais alguma dúvida?



PS.: Confirmando as edições para você, conforme está na edição de 2003:

Original German edition: © November 1994 by Grabert-Verlag, Postfach 1629, D-72006 Tübingen

First English edition: © 2000 by Theses & Dissertations Press, P.O. Box 64, Capshaw, Alabama 35742,
USA (ISBN 0-9679856-0-9)

Second English edition: © 2003 by Theses & Dissertations Press, P.O. Box 257768, Chicago, Illinois
60625, USA


Confirmando, o original em alemão é de 1994.

A primeira edição em inglês é de 2000.

A segunda edição em inglês é de 2003.

vespa disse...

Sr Leo Gott
Fui à página http://rodohforum.yuku.com/forum/viewtopic/id/1903, para ler os comentários do sr Roberto e descobri que todas as páginas da codoh org, foram eliminadas. Fiquei assim, sem poder acompanhar o debate que aparentemente houve entre o sr Roberto e o sr Rudolf sobre este assunto. Também na esperança de lá ver uma cópia do e-mail do Prefeito Vidmantas Brazys, mas não encontrei.
No entanto para mim ainda estranho a última frase do Prefeito. Como lá encontrei outras coisas que não me tinham passado pela cabeça (sou só curioso mais nada), como esta explicação do sr Roberto, a esta pergunta; “Did the Anthropologist determine the races and/or era of those found? It seems he implies that he did.”
Resposta; “Dr. Merkevicius' message suggests that the job he was hired for by the Marijampole town hall was only to find the location of the graves so that the memorial could be set up in the right place. The number of victims stated on the Marijampole municipalitys website was obviously based not on a quantification of physical remains, but on documentary evidence at least thats what Mayor Brazys message suggests.
Nevertheless, it would be interesting to read the report on the archaeological investigation itself. Maybe I can persuade Dr. Merkevicius or Mr. Kuncaitis to send it to me.”
Seja como for, quanto à citação do sr Rudolf, acho que o sr tem razão. Desde já agradeço-lhe as explicações e tempo despendido.

Wahringham disse...

Vamos por ordem na casa, pois quando o "pessoal do Oliveira" entra em cena, o engodo reina !

Essa discussão é antiga...

A primeira edição do Grundlagen zur Zeitgeschichte é de 1994 e é óbvio que por lá não há qualquer menção a Marjampole... Já na edição de 2003, o fato era conhecido e Rudolf não mentiu de forma alguma: não foi descoberta qualquer vala na localização indicada pelas testemunhas.

Alegar que foi descoberta uma vala a 100m (e não 50m) do local indicado é um indício, porém, necessita de mais provas. Eles fizeram a exumação dos corpos? Não?!! Mas que coisa estranha... Por que será que se encontra uma vala repleta de vítimas dos "terríveis nazistas" e não se mostra os cadáveres da tragédia mais "singular" da história? Não vão mostrar os corpos das mulheres e das criancinhas? Ou eles encontraram algumas medalhas estranhas? Cruz de ferro? Ou não cavaram simplesmente sobre um velho cemitério?

Curioso não deixa de ser a troca de correspondências entre o Judenknecht RM e o pessoal da Lituânia:

From: "Algimantas Merkeviius" algimantas.merkevicius@if.vu.lt| This is spam | Add to Address Book

To: cortagravatas@yahoo.com
Subject: Marijampole graves
Date: Tue, 17 Jun 2003 13:53:18 +0300

Dear sir Roberto Muehlankamp,
Sorry for late answer, but I was outside of me office.
Yes, I excavated mass grave territory in Marijampole in 1996. The purpose was to finde exact place of the graves. The supposed burrial place was emty and I found the mass graves about 100 m outside of this supposed territory. People were kiled and burried in a big dich. But after finding the exact place, my work was over. I don't know how much people were kiled and how big the mass grave territory.
Best regards,
sincerely yours
Algimantas Merkevicius


Fica claro aqui que temos apenas um local, onde ossadas foram encontradas. Nenhuma informação sobre o tipo dos ossos (humanos?), causa mortis, número de corpos, classificação dos corpos segundo gênero e idade, nacionalidade etc etc.
Recentemente foi descoberto uma vala com corpos na Polônia, e o mais natural é que se proceda com os exames dos corpos:

Os corpos foram enterrados nus, sem quaisquer pertences, disse ele. "Não encontramos restos de roupas, sapatos, cintos, óculos, nem mesmo dentaduras ou dentes postiços", afirmou. Cerca de 100 crânios - principalmente de adultos - apresentam buracos, o que sugere que essas pessoas tenham sido executadas. Mas ainda não está claro como as demais pessoas morreram, disse Szwedowski. "Nós não sabemos se esses (civis) são vítimas diretas ou indiretas dos ataques de artilharia, mas os buracos de balas sugerem execuções em alguns casos".

Mais exames forenses serão feitos antes que os restos mortais sejam depositados no cemitério de Malbork ou no cemitério militar alemão em Stary Czarnow, próximo a cidade de Szczecin, noroeste da Polônia. "Estas pessoas morreram de forma tão desumana, foram jogadas tão desumanamente, que precisamos enterrá-las com dignidade e respeito", disse Szwedowski.
[http://www.estadao.com.br/internacional/not_int306122,0.htm]

Não sei por que, mas Marjampole me parece a refilmagem de um filme antigo. O título mais apropriado seria Katyn, o retorno... :o)

W.

Wahringham disse...

Deixar passar um acontecimento como esse, onde milhares de corpos das vítimas do nazismo teriam sido encontradas. E ainda mais sabendo-se que a lenda das alegadas câmaras de gás estão condenadas... Como é que eles deixam passar assim este novo "processo industrial de extermínio em massa", em outras palavras, os Einsatzgruppen...

A Indústria do Holocausto já não é mais a mesma...

Dicas:
1. para saber se era uma vala comum, basta somente contar os crânios.
2. Para saber se era um big dich, basta usar uma trena.

W.

Leo Gott disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leo Gott disse...

Mais um Odinista/Nazista...rsrsrs

E esse é declaradoo viu Drake?...rsrsrs

W.,

Porque não manda um e-mail questionando isso, assim como o RM fez? O que te impede? Essa história não é antiga? Porque você ainda não esclareceu? Não diz aos 4 cantos que "estão em busca da verdade".

Vá em frente meu caro, até lá, engula isso.

Leo Gott

vespa disse...

Caro sr Johnny Drake
Devo-lhe um pedido de desculpas por não lhe ter respondido. Mas a discussão com o sr L.Gott ocupou-me o tempo todo. Entre o ter de trabalhar mais o tentar... “investigar cof, cof,:)” fiquei sem tempo. No entanto li o que me aconselhou e dou-lhe razão. Parece que agora na wikipedia é impossível postar qualquer artigo que possa questionar ou por em causa a elegibilidade do sr Obama. E os princípios que a wiki diz defender?... pois.
Quanto ao sr Rudolf, mesmo que tenha errado aqui ou ali, não invalida todo o seu trabalho. É absolutamente ridículo afirmar que um Mercedes não presta porque tem um ou dois pneus furados.
A resposta do sr Roberto em que diz “The number of victims... ...was obviously based NOT on a quantification of physical remains...” significa que os corpos não foram exumados, e depois, o não ter conseguido persuadir ou esquecer-se do relatório das investigações arqueológicas (no resto das conversas tidas não mais falou no assunto, até ao fim da página), não abona a favor da acusação que faz ao sr Rudolf. É como o sr Wahringham diz, pode ser um antigo cemitério. E do lado de lá da cortina da ferro, é aquilo que todos sabemos. Muita documentação ainda é secreta. Penso que a frase do perfeito neste contexto começa a fazer sentido.
Parece-me que chegados a um impasse vou retomar as minhas leituras de Perfidy, de Ben Hecht, até uma próxima troca de ideias, embora seja fraco adversário, mas com o tempo a coisa compor-se-á. Como desde o princípio continuarei a dar as minhas espreitadelas. Cumprimentos.

Leo Gott disse...

Vespa,

Quanto ao sr Rudolf, mesmo que tenha errado aqui ou ali, não invalida todo o seu trabalho. É absolutamente ridículo afirmar que um Mercedes não presta porque tem um ou dois pneus furados.

Só que TODOS os "revisionistas" fazem isso, distorcem fontes, mentem, forjam documentos, manipulam dados e "otras cositas mas".

Creio eu que este seja o grande motivo para se proibir o suposto "revisionismo do Holocausto", isso não é, e nunca será revisionismo histórico. Eu chamaria de "distorcionismo histórico" e isso sim, tem que ser combatido.

Desonestidade intelectual é o que esses "revisionistas" fazem.

E fazem isso motivados por adoração ao nazismo e/ou antissemitismo. É endêmico.

Leo Gott

Leo Gott disse...

Vespa,

Não posso deixar de criticar também os outros charlatães que aparecem, como testemunhas falsas do Holocausto.

Também devem ser combatidos, mas não combatido como fazem os ditos "revisionistas".

Bradley Smith por exemplo quer "uma pessoa com uma prova".

Mas ele não aceita testemunhos oculares (segundo ele são todos exagerados e cheios de fiçção, como se conhecesse todos), não aceita testemunhos de nazistas (segundo ele todos foram torturados ou coagidos) não aceita documentos (segundo ele, todos foram forjados pelos comunistas e pelos americanos).

Vai ficar esperando esta prova durante muito tempo, o que os historiadores estão fazendo com ele é o correto, ignorando-o.

Leo Gott

Johnny Drake disse...

Meus senhores, excelente discussão, mas sempre com os mesmos resultados da que existe para o sexo dos anjos...

Há sempre, de um lado, os "sérios" e, do outro, os "charlatões". E não há volta a dar!

Mas o pior que isso é a rotulagem que o sr. Leio Gott faz (e não é o único, claro) quando já não tem respostas. O Wahringham é "Odinista", é "nazi", e mais qualquer coisa, claro e pronto. Não tem credibilidade para o Leo Gott.
Se eu descesse ao mesmo patamar que ele, bania de uma vez por todos a sua presença aqui porque sendo eu um "odinista/Nazi" - acho que, para ele, também sou um "anti-semita"... - não posso permitir que um Sionista crente na falácia dos "seis milhões" e nas "câmaras de gás", venha para aqui sujar-me a casa.
Mas ele é "espírita"... e depois aparecia-me nos sonhos... e fazia-me mal... e eu podia fazer chichi na cama... E um "Odinista/Nazi" tem que ser forte...

Falando agora a sério, ainda espero um comentário do Gott sobre isto:

http://holocaustcontroversies.blogspot.com/2006/05/dr-rudolf.html

Pretende-se "desmascarar" as habilitações académicas dos revisionistas. Mas depois veja o último comentário. JÁ NÃO TEVE RESPOSTA! E porquê? Porque pretendia-se desacreditar o engenheiro civil Hans Kammler, afirmando que ele não o era... Só que Joachim Neander estava atento e fez a respectiva emenda: ele foi graduado pela Faculdade de Building (Bauwesen) da Technische Hochschule Hannover, um dos melhores institutos da Alemanha, em 1932,com a tese "Zur Bewertung von Geländeerschließungen für die großstädtische Siedlung".

Leo Gott disse...

Drake,

Meus senhores, excelente discussão, mas sempre com os mesmos resultados da que existe para o sexo dos anjos...

Eu não diria que foi uma procura para o sexo dos anjos, foi uma discussão saudável e de consenso.

Há sempre, de um lado, os "sérios" e, do outro, os "charlatões". E não há volta a dar!

Mas isso existe mesmo, evidências é o que não faltam, e diga-se de passagem, de ambos os lados (se é que existe "algum lado" nessa discussão).

Mas o pior que isso é a rotulagem que o sr. Leio Gott faz (e não é o único, claro) quando já não tem respostas. O Wahringham é "Odinista", é "nazi", e mais qualquer coisa, claro e pronto. Não tem credibilidade para o Leo Gott.

Eu conheço o Sr.W. de outra lista de discussão, onde ELE MESMO SE DECLAROU NAZISTA E ODINISTA. Está claro isso, ou precisa de desenho?

Se eu descesse ao mesmo patamar que ele, bania de uma vez por todos a sua presença aqui porque sendo eu um "odinista/Nazi" - acho que, para ele, também sou um "anti-semita"...

Fique à vontade a casa é sua. Eu ainda continuo ACHANDO que você é Odinista/Nazista mas está com vergonha de falar. Antissemita é só ler os artigos do seu blog, não precisa de ler muito, só um pouco.

- não posso permitir que um Sionista crente na falácia dos "seis milhões" e nas "câmaras de gás", venha para aqui sujar-me a casa.

Como já te disse:

Se for Sionista é ser:

1 - à favor do Estado de Israel e da criação de um Estado Palestino na Palestina.

2 - Condenar muitas ações do exército de Israel e também de seu governo

Me considere um sionista. Caso contrário pense em um outro rótulo.

Mas ele é "espírita"... e depois aparecia-me nos sonhos... e fazia-me mal... e eu podia fazer chichi na cama... E um "Odinista/Nazi" tem que ser forte...

O cara ficou maluco...rsrsrsrs

Que maconha é esta mano?

Falando agora a sério, ainda espero um comentário do Gott sobre isto:

http://holocaustcontroversies.blogspot.com/2006/05/dr-rudolf.html

Pretende-se "desmascarar" as habilitações académicas dos revisionistas. Mas depois veja o último comentário. JÁ NÃO TEVE RESPOSTA! E porquê? Porque pretendia-se desacreditar o engenheiro civil Hans Kammler, afirmando que ele não o era... Só que Joachim Neander estava atento e fez a respectiva emenda: ele foi graduado pela Faculdade de Building (Bauwesen) da Technische Hochschule Hannover, um dos melhores institutos da Alemanha, em 1932,com a tese "Zur Bewertung von Geländeerschließungen für die großstädtische Siedlung".


Não localizei isso Drake, poderia me indicar? Aguardo...

O próprio Leuchter disse que era engenheiro e depois disse que não era. MENTIU DELIBERADAMENTE no julgamento do neonazista Ernst Zündel (mais um que é declarado, deve ser odinista também...rsrs) como testemunha, deveria ter saído de lá preso. A credibilidade dele e de Rudolf é tão alta quanto uma cédula de 15 em Zimbabwe.

Mas me diga uma coisa, sobre credenciais; você faria uma operação no coração com o seu mecânico de confiança?

Leo Gott

Johnny Drake disse...

Quando não lhe convém, não encontra as coisas... Tem que pedir ajuda aos "outros espíritas" do blogue...

http://holocaustcontroversies.blogspot.com/2006/05/dr-rudolf.html

O último comentário... que depois não teve resposta.

E diga-me se os sobreviventes com testemunhos falsos sobre os campos de concentração deveriam também ser presos...

Leo Gott disse...

Quando não lhe convém, não encontra as coisas... Tem que pedir ajuda aos "outros espíritas" do blogue...

http://holocaustcontroversies.blogspot.com/2006/05/dr-rudolf.html

O último comentário... que depois não teve resposta.


O comentário de Joachim Neander que NÃO É "REVISIONISTA" sobre o comentário do "REVISIONISTA" Scoth Smith?

Precisa dizer mais alguma coisa? rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

"Ai meu pé"...rsrsrsrsrs

E diga-me se os sobreviventes com testemunhos falsos sobre os campos de concentração deveriam também ser presos...

Sim, deveriam. Poderia me dizer um que você acha que deveria e o respectivo tribunal em que foi dado?

Luz!

Leo Gott

Wahringham disse...

O W. é "nazista"?

O W. é "odinista"?

Para o Leo Gott deve ser fácil postar as fontes, não é mesmo?

Onde estão as fontes?

W.

vespa disse...

Sr L. Gott
“...isso não é, e nunca será revisionismo histórico. Eu chamaria de "distorcionismo histórico"...” lol
O sr fez-me lembrar uma frase que é atribuída a um famoso fiscalista canadiano.
Uma vez um governo canadiano resolveu anunciar que ia fazer uma reforma fiscal para por os mais ricos a pagar mais, para aliviar as outras classes (para os portugueses. Não estou a brincar (eu sei que o sr Sócrates prometeu o mesmo), o livro onde isto vem escrito chama-se; Behind Closed Doors de Linda McQuaig) e torná-la mais justa. O resultado final nem preciso de esclarecer. O que é certo é que ao perguntarem ao tal famoso fiscalista sobre o que ele achava da reforma fiscal, ele respondeu; That´s not a fiscal reform, that´s a fiscal deform. Lol
.
“Eu chamaria de "distorcionismo histórico"”
History is the version of past events that people have decided to agree upon----Napoleão Bonaparte
History is a set of lies agreed upon----- Napoleão Bonaparte
Inquiry is fatal to certainty ----- Will Durant
.
“... e isso sim, tem que ser combatido.”
Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir. ----- George Orwell
Ouvi dizer, que não é com vinagre que se apanham moscas
.
“E diga-me se os sobreviventes com testemunhos falsos sobre os campos de concentração deveriam também ser presos...
Sim, deveriam. Poderia me dizer um que você acha que deveria e o respectivo tribunal em que foi dado?”
Repare neste vídeo( http://cosmos.bcst.yahoo.com/up/player/popup/index.php?cl=12098233 ), publicado pelo sr J. Drake (http://revisionismoemlinha.blogspot.com/2009/02/as-mentiras-de-outro-sobrevivente-do.html )
A história correu mundo, quantos saberão agora que afinal é uma aldrabice (excepto a parte em que esteve num campo de concentração)? A história só não vai ser publicada como, não ficção, porque alguém reviu a história deste sr.
Efectivamente devia ser julgado, mas quem é que tem dinheiro e quer arranjar problemas com os lóbies? Já vui a publicidade, um pobre sobrevivente dos campos de concentarção nazis a ser processado, por ter dito uma pequenita mentirinha, quem não diz de vez em quando uma mentirazinha? Que ele, para poder sobreviver, manter a sua saúde mental, teve de elaborar? Que, coitado, ainda hoje acredita nela?... Só pode ser por um cruel nazi. Etc.
Mas tudo isto já o sr sabe.
Bom, até à manhã. Este blog vicia... :):)

Johnny Drake disse...

Foi referido no post que Hans Kammler não tinha as habilitações literárias. Afinal tinha. Essa é que é a questão. Quem distorce o quê???.... Nem vocês sabem o que dizem ceguinhos e nervosos que estão...

Leo Gott disse...

W.

Fontes para o seu neonazismo e antissemitismo:

http://br.groups.yahoo.com/group/Holocausto-Doc/message/5062

Waringham: Qualificar-me de "nazi" não é problema algum...

A palavra Nazi não é para mim um palavrão. Ela foi formada ao longo
de décadas pela mídia judaica e pelos comunistas. O que é um Nazi?
Com certeza não é um desses Skinheads, em sua maioria desempregados
e frustrados, e que andam calçados com botas pelas ruas assustando
as pessoas. Tempos atrás, muitos deles eram punks ou roqueiros.

O Nazi é um nacionalista, mas não importa de qual nação, que é
orgulhoso de seu país e de pertencer a ele. Além disso, une-se o
componete social "todos por um, um por todos", como Jesus e a Bíblia
ensinaram. Isto é totalmente oposto à sociedade anglo-saxônica-
judaica, onde somente conta o bem-estar de poucos ao custo da
maioria, ao invés de solidariedade à coletividade. Poderia ser
citadas aqui as seguintes palavras-chaves: globalismo, a bolsa e os
milhões de desempregados e sangue-sugas do sistema social, assim
como os trilhões de dólares em dívida e, finalmente, o cativeiro dos
juros ditado pelos grandes bancos.

Nacional-Socialismo ou nacionalismo social é o maior valor da
humanidade. Quem renuncia estes valores, declara a Bíblia como
diabólica! O surgimento então do antisemitismo e antisionismo,
devido à total diferença destes dois sistemas de valores, é uma
dedução lógica. O antisemitismo é, portanto, algo que não pode ser
condenado, mas sim uma conseqüência lógica para um espírito saudável
sob o controle dos sionistas! De outra forma: quem é contra o
antisemitismo é a favor do extermínio do povo palestino; dos juros
cada vez mais altos; do aparecimento de mais leis e menos liberdades
individuais, e contra si mesmo e da liberdade das nações sobre a
terra!!

O judeu não tem uma nação própria e ele nunca vai estar na condição
de formar uma. Israel sobrevive em função do auxílio conta-gotas dos
contribuintes norte-americanos e alemães. O judeu não é capaz de
fabricar produtivamente algo por si só. Ele sente-se em casa somente
nas nações do mundo: como banqueiro, advogado ou na indústria de
entretenimento para moldar seus valores à humanidade.

De qualquer forma, estas constatações não são novas, mas em diversos
países apresentam-se cada vez mais na sua forma mais pura. E os
alemães idolatram toda essa sujeira proveniente de Hollywood, sem
qualquer reflexão. Seus políticos tentam ser a "menina dos olhos"
que colhem grandes louros e calorosos aplausos dos EUA e Israel.
Tudo muito triste e vergonhoso. Respeito não se ganha com submissão.
A Alemanha e os alemães têm somente uma chance de sobreviver
cultural e economicamente: repudiar o modelo "fotocópia" europeu e
voltar-se às suas qualidades principais, o cumprimento do dever e a
forte identidade cultural. A cultura americana mundial determinada
pelos judeus não se importa a mínima para a Alemanha e para os
alemães. Só estão interessados no dinheiro e no poder, e no aumento
destes mundialmente. Talvez a palavra nazi e antisemita tornar-se-
iam, logo logo, palavras aceitas normalmente.
W.


Sobre o Odinismo, não consigo postar aqui, pois são posts de uma comunidade do Orkut sobre Irminismo/Sabedoria Hiperbórea.

Mais um fã do "livro histórico Belicena Vilca.

Leo

Leo Gott disse...

Drake,

vou desenhar pra ver se você entende:

Foi referido no post que Hans Kammler não tinha as habilitações literárias. Afinal tinha. Essa é que é a questão. Quem distorce o quê???....

Quem distorceu foi o "revisionista" Scoth Smith entendeu? O Dr.Joachim Neander que NÃO É "REVISIONISTA" corrigiu.

ENTENDEU?


Nem vocês sabem o que dizem ceguinhos e nervosos que estão...

Mais um desenho:

Scott Smith said:
"For example, architect Albert Speer and civil engineer Hans Kammler were both called "Doctors," but neither had Ph.D.s."


Joachim Neander responde.
I will not comment on Albert Speer since I do not know much about him. But Hans Kammler has been one of my favorite objects of study - I wrote my Ph.D. thesis on concentration Mittelbau which was under the diret control of Kammler. Let me put it right here: Kammler was graduated Dr.-Ing. at the Faculty of Building (Bauwesen) of the Technische Hochschule Hannover, one of Germany's finest Institutes of Technology, in 1932 with a thesis "Zur Bewertung von Geländeerschließungen für die großstädtische Siedlung" (On the evaluation of open country development for big-city housing projects).



ENTENDEU OU NÃO??????????

Leo

Leo Gott disse...

Vespa,

“...isso não é, e nunca será revisionismo histórico. Eu chamaria de "distorcionismo histórico"...” lol
O sr fez-me lembrar uma frase que é atribuída a um famoso fiscalista canadiano.
Uma vez um governo canadiano resolveu anunciar que ia fazer uma reforma fiscal para por os mais ricos a pagar mais, para aliviar as outras classes (para os portugueses. Não estou a brincar (eu sei que o sr Sócrates prometeu o mesmo), o livro onde isto vem escrito chama-se; Behind Closed Doors de Linda McQuaig) e torná-la mais justa. O resultado final nem preciso de esclarecer. O que é certo é que ao perguntarem ao tal famoso fiscalista sobre o que ele achava da reforma fiscal, ele respondeu; That´s not a fiscal reform, that´s a fiscal deform. Lol
.
“Eu chamaria de "distorcionismo histórico"”
History is the version of past events that people have decided to agree upon----Napoleão Bonaparte
History is a set of lies agreed upon----- Napoleão Bonaparte
Inquiry is fatal to certainty ----- Will Durant
.
“... e isso sim, tem que ser combatido.”
Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir. ----- George Orwell
Ouvi dizer, que não é com vinagre que se apanham moscas


Então vamos deixar os “revisionistas” distorcerem a história porque eles assim o querem?
Exemplos de distorção da história do Holocausto:
http://holocausto-doc.blogspot.com/search/label/T%C3%A9cnicas%20dos%20negadores%20do%20Holocausto


.
A história correu mundo, quantos saberão agora que afinal é uma aldrabice (excepto a parte em que esteve num campo de concentração)? A história só não vai ser publicada como, não ficção, porque alguém reviu a história deste sr.
Efectivamente devia ser julgado, mas quem é que tem dinheiro e quer arranjar problemas com os lóbies? Já vui a publicidade, um pobre sobrevivente dos campos de concentarção nazis a ser processado, por ter dito uma pequenita mentirinha, quem não diz de vez em quando uma mentirazinha? Que ele, para poder sobreviver, manter a sua saúde mental, teve de elaborar? Que, coitado, ainda hoje acredita nela?... Só pode ser por um cruel nazi. Etc.
Mas tudo isto já o sr sabe.
Bom, até à manhã. Este blog vicia... :):)

Esse deveria estar preso por charlatanice também. Em história acontece revisão SEMPRE, o que não entra na cabeça dos “revisionistas” é que eles não fazem revisão. Por favor, verifique o que eles fazem com a história, conforme postado no link acima e me diga se isto é revisão.


Leo

Wahringham disse...

Onde está a fonte de sua afirmação de que o W. é "odinista"?

Não vai dizer agora que um crente fica a fazer afirmações ao vento? :o))

W.

Johnny Drake disse...

Textos como este passam ao lado de quem vê fantasmas em todos os outroa lados:

Germany Must Perish!
http://en.wikipedia.org/wiki/Germany_Must_Perish!

http://www.codoh.com/germany/gerperish.html

http://www.amazon.com/Germany-must-perish-Theodore-Kaufman/dp/0942094042

Wahringham disse...

Parece que o sr. Leo Gott vai ficar devendo mais essa falácia aos leitores deste forum...

Sr. Leo Gott, repetindo, onde está a fonte de que o W. é "odinista".

É essa a técnica dos "honestos" afirmacionistas?!!!

:o)))

W.

Leo Gott disse...

W.

posso ficar devendo porque essas comunidades de nazismo "new age" do Orkut são todas bloqueadas e moderadas pela mesma camarilha de antissemitas. Como não crio fakes e tenho certeza absoluta que não me deixarão entrar lá pra provar, deixo a dúvida aos leitores do blog.

Mas pelo menos consegui provar que você é um antissemita e nazista, pelas suas próprias palavras.

Hails Wotan...rsrsrs

Leo

Leo Gott disse...

Drake,

Textos como este passam ao lado de quem vê fantasmas em todos os outroa lados:

Germany Must Perish!
http://en.wikipedia.org/wiki/Germany_Must_Perish!


Como o próprio texto indica:

The book was most notably used by Nazi Germany as propaganda to allege that "the Jews" were plotting against the country.[1][2] In a contemporary sense, the book is utilized by those attempting to forward evidence of a conspiracy against Germany, with such arguments often pertaining to an anti-Semitic agenda.

Exatamente isso.

"Me diga com quem tu andas, eu te direi quem és." O Cristo.

Por falar em propaganda:

http://www.calvin.edu/academic/cas/gpa/ww2era.htm#Antisem

O que achou Drake?

Leo

Leo Gott disse...

Seria possível um comentário a estes discursos de Streicher?

http://www.calvin.edu/academic/cas/gpa/weltfeind.htm

Johnny Drake disse...

Portanto, o livro por ter sido utilizado pelos Nazis como "propaganda"... não merece mais comentários? Fantástico! Nem sequer é dito que é uma farsa - como foi afirmado sobre os Protocolos do Sião. Neste caso, é material de "propaganda"...

Quanto aos discursos:
mas nós todos já sabemos o que foram esses discursos. O que nos têm escondido durante estes anos todos são as opiniões racistas e "exterminacionistas" dos Sionistas e de certos "Aliados".

Mas o que eu queria ver mesmo ser discutido aqui era os vídeos do Germar... e isso tem passado ao lado.

Leo Gott disse...

Ops...mais um bom artigo pra você ler, pra você ver que sou seu amigo:
http://www.calvin.edu/academic/cas/gpa/kriegsziel.htm

rsrs


Discutir o que do charlatão Rudolf?

Pode começar com o que quer.

LeoGott

vespa disse...

“Então vamos deixar os “revisionistas” distorcerem a história porque eles assim o querem?” Não.
Então vamos deixar os historiadores distorcerem a história porque eles assim o querem? Não.
Todos os historiadores dizem a verdade? Não.
Todos os revisionistas dizem a verdade? Não
Todos os historiadores mentem? Não.
Todos os revisionistas mentem? Não.
Todos os historiadores são exemplarmente isentos não sua observações, análises e conclusões? Não.
Todos os rvisionistas são exemplarmente isentos não sua observações, análises e conclusões? Não.
Etc.
Penso que o equilibrio e equidade são abslutamente necessárias, embora impossíveis na sua total aplicação, mas é sobre este princípio que tento formar os meus juízos. Óbviamente também erro. Haverá erros dos dois lados? Estou convencido que sim, ainda por cima sabendo que há muitos documentos que talvez só daqui a várias décadas poderão vir a ser publicados. Como não creio na bondade humana, pergunto; Serão alguns “retocados” até lá? Até lá, terão outros “misteriosamente” desparecido? Não nos podemos esquecer que a Alemanha foi totalmente devassada.
Para mim, nem nacional socialismo nem internacional socialismo, mas reconheço que sobre o 1º fala-se, sobre o 2º... bom... que dizer... o tio Joe e os seus, bolcheviques... porque será?....
Mas agora o que me deixa curioso é saber se os corpos, de que já falamos, sempre foram exumados.
Foram?

Leo Gott disse...

Vespa,

sobre "documentos retocados" eu tenho uma opinião, penso que se os documentos sobre o Holocausto fossem forjados (como afirmam a maioria dos "revisionistas") porque então o "poderoso lobby judaico" não forjou uma assinatura do "cabo boêmio" em um documento mandando exterminar todos os judeus em câmaras de gás e qualquer outro método?

Sobre as exumações:
http://holocausto-doc.blogspot.com/2009/03/documentacao-fotografica-de-crimes.html

Leo Gott

vespa disse...

Sr L. Gott
“Serão alguns “retocados” até lá?”
São dúvidas minhas, não estou a afirmar que há documentos “retocados”. Falei no geral. Não tenho conhecimento suficiente para poder afirmar isso. Mas por outro lado, conheço o suficiente a natureza humana.
Fui lá e aquilo é uma galeria de horrores.
Eu referia-me a Marijampol. Se foram exumados e examinados, e a que conclusões é que chegaram. De quem são etc.

Wahringham disse...

Vespa, é claro que aparentemente nada foi exumado em Marjampole. Caso fosse, eles estariam no podium das atrocidades dos horrores alemães...

Eles apenas acharam algo com alguns cadáveres e logo trataram de erigir um monumento à memória das vítimas... judaicas, claro!

Veja o exemplo dado pelos poloneses que já conhecem bem este tipo de mentira. À exemplo de Katyn, eles procederam com a exumação dos corpos e descobriram se tratar de vítimas alemãs, algumas delas com sinais claros de quie foram executadas. Como é que eles não iriam identidficar as vítimas judaicas, e ao menos transferi-las para um cemitério judaico?!

W.

Leo Gott disse...

W.,

Sobre Marjampole vou repetir de novo, em negrito:

Porque não manda um e-mail questionando isso, assim como o RM fez? O que te impede? Essa história não é antiga? Porque você ainda não esclareceu? Não diz aos 4 cantos que "estão em busca da verdade"?

Eis a grande oportunidade.

Vá em frente meu caro, até lá, engula isso.

Leo Gott

vespa disse...

Sr L. Gott
“Porque não manda um e-mail questionando isso, assim como o RM fez? O que te impede? Essa história não é antiga? Porque você ainda não esclareceu? Não diz aos 4 cantos que "estão em busca da verdade"?
Eis a grande oportunidade.
Vá em frente meu caro, até lá, engula isso.”

Olhe que a situação por resolver é como uma faca de dois gumes, pode sempre cortar para os dois lados.

Leo Gott disse...

Vespa,

Olhe que a situação por resolver é como uma faca de dois gumes, pode sempre cortar para os dois lados.

Que corte pra qualquer lado.

É assim que funciona.

LeoGott

Johnny Drake disse...

Vespa,
este seu apontamento está excelente e eu tenho que o reproduzir:

"“Então vamos deixar os “revisionistas” distorcerem a história porque eles assim o querem?” Não.
Então vamos deixar os historiadores distorcerem a história porque eles assim o querem? Não.
Todos os historiadores dizem a verdade? Não.
Todos os revisionistas dizem a verdade? Não
Todos os historiadores mentem? Não.
Todos os revisionistas mentem? Não.
Todos os historiadores são exemplarmente isentos não sua observações, análises e conclusões? Não.
Todos os rvisionistas são exemplarmente isentos não sua observações, análises e conclusões? Não.
Etc."

Diz muita coisa.


Gott,

"Que corte pra qualquer lado.
É assim que funciona."

Não. Não é. Os Revisionistas com as leis actuais NUNCA são reconhecidos. E mesmo com os testemunhos desmascarados, mesmo com novas provas e novos números, tudo é apelidado de "cruzada anti-semita" ou "branqueamento" de qualquer coisa...
Basta ver quem está na cadeia ou quem foi multado.

Leo Gott disse...

Drake,

Não. Não é. Os Revisionistas com as leis actuais NUNCA são reconhecidos. E mesmo com os testemunhos desmascarados, mesmo com novas provas e novos números, tudo é apelidado de "cruzada anti-semita" ou "branqueamento" de qualquer coisa...
Basta ver quem está na cadeia ou quem foi multado.


Se o que eles fizessem fosse revisão mesmo, não teriam estes tipos de leis, mas bandidos como são a cadeia para alguns ainda está pouco.

E não conseguiram provar nada. NADA. Apresente o que conseguiram provar até hoje, por favor, nos dê este brinde.

Johnny Drake disse...

O que é que está aqui a fazer, Gott?
O que o deixa tão irritado se tudo está tão provado e documentado?
Alguém vai chamar nomes aos investigadores que todos os dias reescrevem a História com novas descobertas? Alguém os vai multar ou prender? Alguém vai fazer alguma coisa aos detentores das teorias antigas ultrapassadas pelas novas?
Não... Claro, que não... Então porque para o Holocausto as coisas são diferentes???
Ainda acredita no sabão e nos candieiros de pele tatuada? Ainda diz que Dachau possuia câmaras de gás? E quantos foram afinal os mortos Judeus? Quer mais brindes?

8.000.000 – Fonte: Gabinete de investigação de Crimes de Guerra Francês, doc 31, 1945.

6.000.000 – Fonte: citado no livro “Auschwitz Doctor” de Miklos Nyiszli

4.000.000 – Fonte: citado num documento soviético de 6 de Maio de 1945 e reconhecido no
julgamento dos crimes de guerra de Nuremberga. Este número foi também citado no «The New York
Times» a 18 de Abril de 1945.

2.000.000 a 4.000.000 – Fonte:citado por Yehuda Bauer em 1982 no seu livro «A History of the
Holocaust». Contudo, em 1989 Bauer reduziu este número para 1.600.000 a 22 de Setembro no “The
Jerusalem Post”.

1.100,000 a 1.500.000 – Fonte: estimativas de Yisrael Gutman e de Michael Berenbaum no seu
livro de 1984, «Anatomy of the Auschwitz Death Camp».

1.000.000 – Fonte: Jean-Claude Pressac, no seu livro de 1989 «Auschwitz: Technique and Operation
of the Gas Chambers».

900.000 – Fonte: relatado a 3 de Agosto de 1990, por «Aufbau», um jornal judeu de Nova Iorque.

775.000 a 800.000 – Fonte: número revisto por Jean-Claude Pressac, avançado no seu livro de
1993, « The Crematoria of Auschwitz: The Mass Murder's Machinery».

135.000 a 140.000 – Fonte: estimativa baseada em documentos apoiados pelo “International
Tracing Service” da Cruz Vermelha

Quer mais brindes?

Leia "As vitórias do Revisionismo", de Robert Faurisson

Wahringham disse...

Só para complementar o debate, o "Leo Gott" ou talvez seu nome seja "Marcelo Oliveira", "Mario Blaya", "José da Silva is free", postou a metade da importantíssima questão: se o W. é ou não um terrível "nazista".

Vejamos o que retiramos do grupo de discussão do Yahoo "Holocausto-Doc", mensagem 5172:

Você está correto Oliveira!

Com a frase

O judeu não é capaz de fabricar produtivamente algo por si só. Ele sente-se em casa somente nas nações do mundo: como banqueiro, advogado ou na indústria de entretenimento para moldar seus valores à humanidade.

eu estava querendo fazer a ponte para a seguinte análise:

A Questão Judaica não desapareceu com a catástrofe da Alemanha. Ela
aguarda – mais do que nunca – a resposta. O papel dos banqueiros
judeus no sistema financeiro global, a estreita ligação entre os EUA e Israel, a forte influência judaica na mídia e a penetrante comercialização do sofrimento originado pela perseguição através de
conhecidas instituições dirigidas por judeus, colocam com uma
irresistível violência "os judeus" na pauta do dia da discussão
política. A forçada transformação em tabu da Questão Judaica através
da "Clava Auschwitz" na ocidental "comunidade de aproveitamento"
evitou o avanço do pensamento ao centro da Questão Judaica.

Em seu ensaio sobre a Questão Judaica, o neto de rabino Karl Marx
foi o primeiro a advertir sobre a solução final da mesma. Ponto
central de sua visão é a redenção dos judeus de seu judaísmo (Veja
aqui também o artigo do Milman). Este é o correto ponto de partida.
Todavia, Marx abrange o judaísmo pura e unilateralmente mundano como
o Sistema de Regateio. Esta abordagem parcial do problema não forma
qualquer barragem contra o ódio aos judeus, o qual foi efetivo
através dos séculos. Abordando os pensamentos de Marx, não devemos
reduzir o judaísmo ao "regateio". Coloca-se ao centro da Questão
Judaica, o duplo caráter do judaísmo como revolução e contra-
revolução no pensamento da liberdade. O ato histórico revolucionário
do Espírito judaico é o reconhecimento que Deus não tem uma
existência física, mas sim é Espírito. No judaísmo, o Espírito
experimenta que ele é absolutamente diferente em relação à natureza
física. Ao longo da história, esta diferença cresceu ao extremo – e
golpeia na separação dos diferentes momentos. Pessoas – longe de
serem somente judeus – como seres naturais, golpeiam-se ao lado da
natureza e negam o Espírito (A morte de Deus). Sem Deus não é mais
possível pensar em liberdade. A partir deste ponto, o judaísmo levou
adiante a História através de seu negativismo. Por isso os judeus
são odiados. O ódio é superado no reconhecimento de que o
distanciamento de Deus possibilitado pelo judaísmo é necessário como
ponto de transição para a própria consciência, que nós, como
Espírito finito, somos um só, juntamente com o Espírito absoluto
(Deus). Apenas sob este ponto de vista podemos respeitar "os
judeus", mesmo apesar de seu Espírito negativo como momento de nossa
própria existência. Frases como: "O judeu não é capaz de fabricar
produtivamente algo por si só" não serão mais pronunciadas, pois
elas serão reconhecidas como falsas antes que elas tornem-se
audíveis.


Obrigado por ter mordido a isca. Poderia ter acontecido com qualquer
um de nós. :o)
W.


Entendo que o Leo Gott não fez muita questão em postar esse complemento à minha mensagem. Parece ser patológico, como no caso do Holoconto, somente a parte que interessa é divulgada; tudo é para manter sua fé dogmática... :o))

W.

Johnny Drake disse...

W.,

bom apontamento ;)

O sr. Gott (ou lá qual seja o verdadeiro nome dele), gosta de lançar pedradas a toda a gente, gosta de rotular toda a gente, já se percebeu de início.
Mas o mais estranho é que ele acusa os revisionistas de manipularem as fontes e depois vem para aqui contar meias coisas...

Ele anda desaparecido há uns dias. Deve andar a fazer desenhos lol

Leo Gott disse...

O sr. Gott (ou lá qual seja o verdadeiro nome dele), gosta de lançar pedradas a toda a gente, gosta de rotular toda a gente, já se percebeu de início.

O nome é este mesmo. Não preciso usar pseudônimos como Drke, W. e etc. Engraçado o W. adora que o chame de nazista, você não, odinista? rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs


Mas o mais estranho é que ele acusa os revisionistas de manipularem as fontes e depois vem para aqui contar meias coisas...

Não é meia coisa nada, o cara ficou preocupado com o que escreveu e depois TENTOU se retratar, mas como se diz aqui no Brasil, "pra quem sabe ler, um pingo é letra." Heil Drake. rsrsrs

Ele anda desaparecido há uns dias.

Existe vida fora da internet, caro odinista, ou voce não sabe?

Deve andar a fazer desenhos lol

Não, estava em uma reunião com a Mossad...rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

Wahringham disse...

Vamos estragar um pouco a risadinha do sr. Leo...

Se analisarmos as duas partes dos textos, podemos ver que a segunda parte é uma resposta bem elaborada para a primeira, e não como ele DESEJA, uma tentativa de contornar uma eventual saia justa!!

Gostaria de ver o sr. Leo provar que não é assim. Evidências?

Como se diz aqui no Brasil, quem ri por último ri melhor... :o))

W.

Johnny Drake disse...

Gott (Marcelo Oliveira),

"O nome é este mesmo. Não preciso usar pseudônimos como Drke, W. e etc. Engraçado o W. adora que o chame de nazista, você não, odinista? rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs"

Será que tenho que fazer um desenho para você perceber de onde vem o pseudónimo?... Odinista??? hahahaha chama-me o que quiser, menos pai...


"Não é meia coisa nada, o cara ficou preocupado com o que escreveu e depois TENTOU se retratar, mas como se diz aqui no Brasil, "pra quem sabe ler, um pingo é letra." Heil Drake. rsrsrs"

Conversa fiada de quem lhe retiraram o tapete debaixo dos pés e depois vai caindo, caindo, caindo... "Heil"???? Já reparou como você fica ridículo com essa conversa? Não consegue fazer melhor??? Fraquinho mesmo...


"Existe vida fora da internet, caro odinista, ou voce não sabe?"

A sério??? Que seria de mim sem você...


"Não, estava em uma reunião com a Mossad...rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs"

A brincar, a brincar, se dizem as verdades...


W.,

Ele já não tem argumentos e está a sair de fininho...
Veio para aqui com uma estratégia e ela... saiu furada!
Acontece.
Só desejo que ele seja muito feliz.

Johnny Drake disse...

Para quem ainda não percebeu:
primeiro, os comentários deverão ser sobre o post em questão; segundo, não são admitidas ofensas nem difamações.