sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Assembleia da ONU: UMA VERGONHA!

[Retirado daqui quase na íntegra PELA SUA IMPORTÂNCIA!]

Se alguém necessita mais uma prova sobre em qual proporção as mídias ocidentais são totalmente controladas, então este deve apenas observar o que elas reportaram sobre a Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas, ou melhor, o que elas não reportaram.

Na quarta-feira, a comissão de direitos humanos da ONU condenou severamente Israel por causa do assassinato de 9 ativistas turcos do comboio de ajuda humanitária e pela transgressão do direito internacional. Ao investigar as condições do ataque, a comissão da ONU encarregada do assunto chegou ao resultado que existe uma crise humanitária em Gaza e

“apenas por causa disto, este bloqueio é ilegal e não pode ser sustentado juridicamente. O comportamento dos militares israelenses e de outras pessoas em relação aos passageiros do comboio não foi proporcional para esta ação, mas mostrou uma violência desnecessária e inacreditável. Mostra um nível inaceitável de brutalidade.”

O que os meios de comunicação reportam sobre isso? Nada.

Como reação ao relatório da ONU, o presidente turco Abdullah Gul exigiu em seu discurso na Assembléia Geral um pedido formal de desculpas por parte de Israel por causa do ataque de 31 de maio e uma indenização financeira aos participantes. Ele caracterizou o assassinato a bordo do Mavi Marmara como um “ato inaceitável contra o direito internacional” e a Turquia espera por parte de Israel “um pedido formal de desculpas e indenização para as famílias em luto das vítimas e para os feridos”. Gul disse que é difícil encontrar na região uma paz duradoura caso “nós não cessemos a tragédia humanitária em Gaza”.

O que os meios de comunicação reportam sobre isso? Nada.

Israel não se desculpou, ao contrário, se apresentou novamente como uma pobre vítima e deu uma desculpa ridícula: os soldados armados até os dentes, os quais atacaram o navio em ato de pirataria no meio da noite, tiveram que se defender com assassinatos pontuais contra os passageiros que queriam apenas defender seu navio. Justamente os campeões mundiais em exigir indenizações, se recusam a pagar o que aprontaram. Por isso o presidente Gul cancelou a reunião com o presidente israelense Shimon Peres em Nova York, num encontro paralelo à Assembléia Geral da ONU. Como alguém pode estender as mãos ao representante máximo de um país, cujas mãos estão repletas de sangue de inocentes cidadãos turcos? Este criminoso de guerra não tem apenas dignidade em se desculpar pelas mortes, mas tem ainda a cara de pau e arrogância de dizer aos turcos, que eles não devem se comportar assim e simplesmente esquecer o incidente, que equivale a uma declaração de guerra para qualquer país.

O que os meios de comunicação reportam sobre isso? Nada.

E sobre o que as mídias reportam e chamam de escândalo em grandes manchetes? O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad mencionou em seu discurso que muitas pessoas mundo afora acreditam que os EUA estão atrás dos atentados de 11 de setembro. Alguns iriam achar que os atos terroristas foram praticados apenas para assegurar a sobrevivência de Israel e poder justificar as guerras de agressão. Ele disse, “alguns elementos do governo norte-americano orquestraram o ataque para salvar a decadente economia americana e sua participação no Oriente Médio, assim como o regime sionista. A maioria dos povos na América assim como em outros países compartilham desta opinião.” O presidente iraniano criticou duramente por isso a guerra conduzida pelos EUA no Iraque e Afeganistão. Na seqüência, a delegação norte-americana deixou o plenário, seguido de seus fiéis lacaios dos países bélicos da OTAN, como Alemanha e Canadá.

E onde está o escândalo? Ele só falou a verdade e é um dos poucos que tem a coragem em dizer isso. O que é falso em seu discurso, onde todos nós sabemos que é exatamente assim? Ele exigiu diante dos 192 delegados que a ONU deveria “constituir uma comissão independente” para investigar os acontecimentos do 11 de setembro. Perfeito, é exatamente isso que nós também exigimos. O relatório da comissão do 11/9 é um conto de lendas, uma maquiagem para encobrir os verdadeiros culpados. As lacunas neste relatório são tão grandes que até um Boeing pode através por ele.

E Ahmadinejad disse ainda: “outras partes do mundo sofreram sob a dominância do ocidente.” Ele acusou o ocidente de “crimes inacreditáveis” e falou sobre “centenas de milhares de mortos no Iraque e Afeganistão”. Por séculos estiveram outros países ocupados, seus povos reprimidos e assassinados e milhões de pessoas foram escravizados.

Isso está correto, somente o assim chamado ocidente civilizado conduz guerras, promove genocídio e bombardeia países inteiros fazendo-os retroceder à idade das pedras. Aqueles que iniciaram guerras de agressão com mentiras descaradas, como Bush e Blair, invocaram nisso sua crença cristã e Deus; este teria os ordenado a fazer isso. Continentes inteiros foram assaltados ao longo dos séculos, as populações dizimadas e suas culturas destruídas, com a missão de converter os “hereges”. Qual parte do mandamento “não matarás” estes supostos cristãos não entenderam?

Então ele mostrou a todos uma Bíblia e um Corão, e disse: “a energia atômica é limpa e barata e muito superior à energia fóssil. Mas os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança querem criar um monopólio para não permitir que outros tenham acesso a esta fonte de energia. E isso, embora eles até possuam armas atômicas, a mais desumana das armas.” Ele quer fazer de 2011 o ano do desarmamento: “Energia atômica para todos, bombas atômicas para ninguém”.

Então seu discurso foi abafado por problemas técnicos. A tradução simultânea foi interrompida para os delegados presentes. Uma sabotagem premeditada? Isto também é uma forma de se calar alguém, à media que ninguém entenda o discurso.

As mídias também representaram falsamente seu discurso. Ele disse e foi traduzido em inglês:

“It was said that some three thousands people were killed on the 11th of September for which we are all very saddened. Yet, up until now, in Afghanistan and Iraq hundreds of thousands of people have been killed, millions wounded and displaced and the conflict is still going on and expanding.”

“Foi dito que cerca de três mil pessoas foram mortas a 11 de setembro, e nós sentimos muito este fato. Mas desde então até hoje, centenas de milhares de pessoas foram mortas no Afeganistão e no Iraque, milhões foram feridas e deslocadas, e o conflito ainda continua e se expande.”

Como a mídia alemã mentirosa Schmiergel deturpa esta passagem? “Provocou também indignação, quando o presidente iraniano compensou as cerca de 3.000 mortes do ataque terrorista contra ‘centenas de milhares de mortos no Iraque e Afeganistão’.” Claramente uma falsa reprodução do que foi dito na realidade.

Não é necessário ser um fã de Ahmadinejad e, se quisermos ser sinceros, o que ele disse está correto em muitos pontos. Qual é o único país que possui realmente armas atômicas no Oriente Médio e quem se esquivou novamente a assinar o Tratado de Não-Proliferação de armas atômicas, além de recusar qualquer tipo de inspeção em suas instalações nucleares? Qual país afinal, a não ser aquele que aponta o dedo para o Irã e ameaça atacá-lo.

O verdadeiro escândalo é que as mídias nada relatam, não revelam quem são os verdadeiros criminosos e assassinos mundiais, ao contrário, elas apresentam tudo de tal forma a levar à conclusão que o Irã ou o islamismo seriam os agressores e não o ocidente que espalha guerra por toda parte. Além disso, a campanha contra os turcos na Alemanha é uma clara tática para desviar o foco do assassinato de ativistas turcos do comboio de ajuda humanitária por Israel.

Aliás, os “representantes” de 27 países deixaram a Assembléia Geral da ONU. O que as mídias não relatam é que 163 delegados permaneceram sentados. E estes criminosos do mundo + seus 26 obedientes escravos têm a cara-de-pau em determinar a opinião mundial.





Vejam também aqui mais um exemplo dos "crimes do povo eleito" sempre esquecidos pelos principais orgãos de comunicação social. Um "esquecimento covarde" ou uma "cumplicidade hipócrita" são preferíveis a uma acusação de "anti-semitismo".

UMA VERGONHA!!!

2 comentários:

Daniel Simões disse...

E que fazemos nós?
Ficamos em casa...
Lembro-me de Gabriel, O Pensador:

Até quando vc vai levando porrada, porrada?
Até vai ficar sem fazer nada?
Até quando vc vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser de saco de pancada?

Stefano disse...

a imprensa ocidental é tão livre quanto a chinesa