domingo, 6 de setembro de 2009

Gotz Aly - A Próxima Censura?...



O historiador Götz Aly, autor do livro "Hitler's Beneficiaries", acusou os soldados Aliados negros de serem os responsáveis pela violação sistemática de mulheres Alemãs durante a Segunda Guerra Mundial. Ele também contraria a ideia generalizada de que os soldados da Alemanha Nazi já derrotada eram obrigados a lutar. O historiador compara os actos dos soldados negros da Grã-Bretanha e da França às violações em massa feitas pelos soldados do Exército Vermelho Russo na Alemanha Oriental. "Todas as localidades do Sudeste Alemão têm histórias para contar das violações dos soldados negros e que não são muito diferentes das histórias dos Russos [que praticavam o estupro sistematicamente." Aly afirma também que Mahatma Gandhi foi "um dos maiores amigos da Alemanha Nazi" porque ele e o Terceiro Reich partilhavam um inimigo comum.

A notícia pode ser lida na íntegra
aqui.

O Revisionismo em Linha desconhece quanto tempo faltará para este historiador Alemão também ser rotulado, multado ou até mesmo preso pelos seus comentários e visão histórica.
Também não sabemos se acontecerá alguma coisa ao Telegraph On-line por ter colocolda a notícia. O que sabemos é que caminhamos para um mundo em que os "crimes do pensamento" se tornaram demasiados perigosos para certos grupos policos e religiosos.

2 comentários:

vespa disse...

Este senhor não é o primeiro a falar sobre as violações das mulheres alemãs, pelos soldados negros e marroquinos, das fileiras americanas e francesas.
Não tenho a certeza mas penso que James Bacque, também se refere a isso no seu livro Outras Perdas. Acho que é ele que chega a mencionar alguém que diz que os alemães tinham de por uns papeis colados às portas de entrada de casa ou dos prédios, com os agregados familiares, as idades e o sexo.
Li doutro autor em que afirmava que como os franceses não tinham dinheiro suficiente para pagar melhor às tropas africanas, a violação estava implícita como forma de melhorar o ordenado.

Johnny Drake disse...

James Bacque, Giles MacDonogh, entre outros. Tudo justificado pelos historiadores "oficiais", que sempre foram tolerantes perante estas situações. Os violadores aliados apenas se limitavam a "vingar-se", diziam até alguns. Felizmente as coisas estão a mudar e há quem se atreva a mudar o rumo do politicamente correcto. Ninguém deveria ficar com o rótulo de "nazi" apenas porque não escreve o que durante anos se habituaram a escrever. A "história dos vencedores" tem os dias contados!