domingo, 9 de dezembro de 2007

O Que é o Revisionismo do Holocausto?

A palavra "Revisionismo" deriva do Latim "revidere", que significa “ver novamente”. A revisão de teorias guardadas há muito tempo é perfeitamente normal. Acontece nas ciências da natureza assim como nas ciências sociais, à qual a disciplina da história pertence. A ciência não é uma condição estática. É um processo, especialmente para a criação de conhecimento pela pesquisa de provas e evidências. Quando a investigação decorrente encontra novas provas ou quando os pesquisadores descobrem erros em velhas explicações, acontece frequentemente que as antigas teorias têm que ser alteradas ou até abandonadas.

Por "Revisionismo" queremos dizer investigação crítica baseada em teorias e hipóteses no sentido de testar a sua validade. Os cientistas precisam de saber quando novas provas se modificam ou contradizem velhas teorias; na realidade, uma das suas principais obrigações é testar concepções tradicionais e tentar refutá-las. Apenas numa sociedade aberta na qual os indivíduos são livres de desafiar teorias comuns é nós podemos certificar a validade dessas mesmas teorias, e estar confiantes de que estamos a aproximarmo-nos da verdade.


(…)


O que defende, afinal, o Revisionismo do Holocausto?
Primeiro de tudo, devido a falsas representações pelos média, é necessário clarificar o que é que o Revisionismo do Holocausto não afirma:
- não é negado que os Judeus foram perseguidos sob o regime do Terceiro Reich;
- não é negado que os Judeus foram privados de direitos civis;
- não é negado que os Judeus foram deportados;
- não é negada a existência de guetos Judeus;
- não é negada a existência de campos de concentração;
- não é negada a existência de crematórios nos campos de concentração;
- não é negado que Judeus morreram pelas mais variadas razões;
- não é negado que outras minorias foram também perseguidas, como ciganos, Testemunhas de Jeová, homossexuais e dissidentes políticos;
- e, finalmente, não é negado que todas as coisas acima mencionadas foram injustas.

Nenhuns destes crimes do regime Nacional-socialista são postos em dúvida pelo Revisionismo do Holocausto. Na visão dos Revisionistas, porém, todas estas injustiças nada têm a ver com o Holocausto, o qual é caracterizado por ter sido um assassínio em massa planeado e organizado, levado a cabo especificamente em câmaras de gás homicidas.

Para saber mais sobre este assunto, clicar aqui.

2 comentários:

acoral disse...

O que tem de ser negado são os "6Milhões... e eles não querem, aliás querem é aumentar esse mesmo numero!

nanda disse...

Os judeus precisavam se fazerem de vítimas para "criarem o Estado de Israel", apadrinhados pela ONU. Fui expulsa de uma comunidade judaica-cristã porque sou uma revisionista, mas nem sabia que era, até que eles - "os judeus orkuteiros" - (o moderador que me baniu) me rotularam como criminosa, alegando que revisionismo é crime, é crime contestar os autos do Tribunal de Nuremberg. Mas há provas científicas de que o número de 6 milhões de vítimas é uma farsa e de que as câmeras de gás, foi uma mentira coletiva dos prisioneiros dos campos para colocar a Alemanha no banco dos réus. "A vingança dos judeus" foi propalar pro mundo inteiro uma calúnia contra polacos e alemães! Descobri isso a duras penas porque sou descendente dessa etnia hedionda! Minha bisavó era judia-espanhola. Crime é banir alguém de um direito ao entretenimento (no caso o Orkut). Onde fica a liberdade de expressão?!