quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Caça às Bruxas, Caça à Multa ou Apenas a Caça à Liberdade de Expressão?

Há muito tempo que já tinha aberto a caça à liberdade de expressão, mas estamos perante uma autêntica demonstração de que não há mesmo a mínima reserva ou contemplação para ninguém. Caso após caso, exemplo atrás de exemplo. Avançamos para que futuro e para que mundo, afinal?...

Vamos ver mais estes dois exemplos:

Tribunal Alemão aplica multa a Bispo que nega o Holocausto - Um bispo ultraconservador Britânico foi multado em 16,822 dólares (12,000 euros) na Alemanha por ter negado o Holocausto numa entrevista a uma televisão Sueca.
Um tribunal da cidade de Regensburg, na Baviera, aplicou uma multa contra Richard Williamson por incitamento e ligação à negação do Holocausto, afirmou o seu advogado Matthias Lossmann.

Penso que se lembram:



Será que se ele viesse defender a justiça da invasão da Hungria ou da Checoslováquia em Maio de 1968 também seria condenado? Será que se ele viesse defender o regime de Estaline com os seus Gulags e a sua KGB também seria multado?

Outro exemplo:

França condena cómico negro por anti-semitismo - Juízes Franceses condenaram o comediante negro de extrema-direita [vou escrever outra vez: Dieudonne M'bala M'bala , um COMEDIANTE NEGRO DE EXTREMA-DIREITA????!!!!! O jornalista que escreveu esta pérola merecia um prémio… O PRÉMIO DA ESTUPIDEZ!!!!] ao pagamento de 20.000 euros (30.000 dólares), devido a um espectáculo considerado anti-semita e onde ele convidou um notável negacionista do Holocausto ao palco.

O tribunal de Paris multou Dieudonne M'bala M'bala, um Francês com 43 anos e actor de “stand up comedy“ a 10.000 euros de multa pelos seus “insultos anti-semitas em público” e a mais 10.000 euros por danos e honorários judiciais às organizações que o processaram.

O actor Francês foi processado depois de ter convidado Robert Faurisson, um académico já condenado pela prática da negação do Holocausto, para o palco durante um espectáculo de comédia em Paris para receber um prémio satírico de um actor vestido como um Judeu detido num campo de concentração.

O cómico admitiu na audiência que o espectáculo tinha sido um "atentado à bomba com comédia", mas defendeu o seu direito à liberdade de expressão. Organizações anti-racistas e de defesa dos Judeus congratularam-se com o veredicto.

Recordemos:

2 comentários:

Diogo disse...

Drake, não penses que a verdade não se está a espalhar. No «Opinião Pública», na SIC Notícias, num determinado programa de que não me lembro o tema, um telespectador falou do revisionismo e que não acreditava em nada das câmaras de gás.

Não é por acaso que os sionistas multiplicam os livros, os artigos em jornais e programas de televisão sobre o holocoiso.

Stefano disse...

"Será que se ele viesse defender a justiça da invasão da Hungria ou da Checoslováquia em Maio de 1968 também seria condenado? Será que se ele viesse defender o regime de Estaline com os seus Gulags e a sua KGB também seria multado?"

e se ele defendesse também as politicas violentas dos EUA França,GB etc... seria multasdo.. e se ele negasse crime destes paises tambem seria multado?