quarta-feira, 6 de maio de 2009

Rodeado de Trabalho, Mas...


Apesar de estar rodeado de trabalho, consegui arranjar um espacinho para vos mostrar isto, pois achei curiosa a notícia. No fundo, é mais um exemplo que "factos históricos, comprovados, verificados, com testemunhos e mais bla, bla, blas!" existem, mas sempre, SEMPRE, com portas e janelas abertas a mais dados, a tudo o que possa ajudar a percorrer o caminho para a "verdade histórica". Ouviram, "exterminacionistas"?...

Dois livros que gostaria de partilhar com vocês, pois constituem leituras alternativas para o tema do Cristianismo e Jesus Cristo:

Mentiras do Cristianismo: Contradições e Falsidades da Bíblia, de Jorge Blaschke - A Bíblia é o livro de referência do cristianismo, mas o seu conteúdo está repleto de incertezas, de histórias e de lendas que não podem ser comprovadas científica ou documentalmente. Não pode ser provada, por exemplo, a existência de muitos dos profetas no Antigo Testamento, não existem provas arqueológicas da existência de Jesus e também não é possível corroborar-se a autenticidade dos locais sagrados... Ao longo das suas páginas abundam contradições. Uma frase afirma uma coisa, outra afirma o contrário e uma terceira contradiz esta última. A verdade é que muitos leitores de livros que analisam o conteúdo da Bíblia se sentem surpreendidos ou escandalizados perante determinadas passagens: as palavras de Jesus acerca da família, as carnificinas descritas no Antigo Testamento, as acções imprudentes, as violações, a agressividade do próprio Jesus, a maneira como a mulher é tratada... Mentiras do Cristianismo apresenta uma investigação bem documentada sobre a Bíblia e respectivo contexto histórico e sociológico que irá surpreender o leitor e proporcionar-lhe uma nova visão daquele que é sem dúvida o livro mais lido do mundo.


A Vida de Jesus: Verdades Escondidas - Em 1982, Michael Baigent publicava, com mais dois colegas, o livro O Sangue de Cristo e o Santo Graal, que gerou acesa controvérsia ao pôr em causa factos sobre a vida de Jesus até então incontestados. Mais de duas décadas de investigação depois, Michael Baigent regressa, munido de provas recentes, determinado a explorar novas possibilidades sobre a vida e a morte de Jesus. E se Jesus tiver sobrevivido à crucificação e deixado descendência? E se sempre houve grupos restritos na posse da verdade? Um livro que dá um passo fundamental na compreensão da vida do homem que iria mudar a civilização ocidental para sempre.

1 comentários:

Luiz Antônio disse...

Apolonio de Tiana
Esse personagem talvez tenha inspirado a história de um Jesus de Nazaré.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Apol%C3%B4nio_de_Tiana
Parece que a igreja cristã teve muito trabalho para esconde-lo.
Está voltando.